Imigração Japonesa é tema de trabalho interdisciplinar

Os alunos dos 4ºs anos do Liceu Albert Sabin - Ensino Fundamental participaram de um projeto interdisciplinar sobre imigração japonesa e construíram uma “Árvore de Tsurus”.

O projeto existe há dois anos, mas, devido à pandemia do coronavírus, não foi possível montar a árvore no ano passado. Por meio das aulas híbridas, isso aconteceu em 2021.

A realização do projeto

A atividade é uma iniciativa do professor Lucas Alves, da disciplina de Geografia, em parceria com Literatura e Produção de Textos, ministradas pela professora Thaís Ismail.

Segundo Lucas, a ideia de realizar o trabalho surgiu, pois o espírito de equipe é apreciado no Japão. Além disso, fazer tsurus requer atenção, esforço e constância.

“Esses valores juntaram-se à ideia de se realizar um desejo comum, o que fez do projeto uma oportunidade para mostrarmos a força da união de se compartilhar desejos, afinal os sonhos que sonhamos juntos acontecem mais rápido! A árvore de Tsuru simboliza a união que todos devem ter para construirmos um futuro melhor. O esforço individual resultou num belíssimo trabalho em equipe”, afirma.

A professora Thaís conta que, durante o primeiro trimestre, houve uma associação da História da Imigração Japonesa com a leitura do livro: Vovó veio do Japão, no qual quatro netas contam que suas avós vieram para o Brasil, com filhos e sonhos. A obra trata de nobres atitudes, entre elas, respeito, ética e valorização familiar.

“Em uma das histórias, há uma vovó ensinando a prática milenar do Origami, que consiste em dobraduras de papel, modelando bichinhos e flores. A avó conta às meninas a lenda que pode se tornar real: se qualquer pessoa conseguir fazer mil tsurus, terá a benção dos Céus e um pedido realizado! Então, primeiro escolhemos o nosso pedido! Claro! A cura do mundo, o fim da pandemia! E todos os alunos dos quartos anos e muitos dos quintos anos começaram a criar tsurus para que o nosso desejo se realizasse”, comenta.

Frutos do trabalho

Os professores constataram que, a cada história, a cada redação, a cada tsuru feito, os alunos desabrocharam ideias e fizeram mais de mil tsurus.

“Aprendemos que a paciência também é uma virtude japonesa e estamos a praticá-la cada vez que olhamos nossa linda árvore de tsurus e aguardamos – esperançosos - a realização desse sonho coletivo! Afinal, esta é a importância do nosso projeto: perceber que precisamos entender e respeitar a vida de cada pessoa que constrói o nosso todo. Não podíamos agir de outra forma. Somos todos parte de sonhos de uns e outros, formamos uma árvore imensa chamada Vida”, finaliza a professora Thaís.

Postada em 05/07/2023 por Thais
Jornalista: Jornalista: Rogéria Gamba - MTB 52.808 | rogeriacg@baraodemaua.br Nikolas Guerrero - MTB 0093651 | nikolas.guerrero@baraodemaua.br
Contato Assessoria de Imprensa: (16) 3968-3890